Google Analytics Alternative
Google Analytics Alternative

sexta-feira, 23 de junho de 2017

em estado de poesia

as vezes me sinto uma adolescente para todo o sempre. Paixão é coisa de adolescente né não? essas paixões assim que a gente n consegue ficar longe, e fica amando por toda eternidade do hoje. que loucura.

decidi que viria pra chapada da diamantina por muitos motivos. Inclusive tinha muitos outros motivos para não vir, mas decidi que viria para compreender também essas coisas avalassaladoras que venho sentido.

vim sem ele.

vim eu e meu filho. Nooooossa e como foi bom isso de vir com joao. conheci uma pouco mais meu filho, que criança incrível que eu tenho. que parceira que a vida me deu. hj me emocionei com ele algumas vezes.

vir em ele foi um tempo de pensar em nós tb.

Confesso que me assusta a sensação que venho sentido de que estou onde queira estar. Senti isso poucas veezes na vida e todas as vezes foi muito dificil nao ter minha inquietude como parte de mim.

hj decidi que me permitira ir a festa como uma adulta, sem filho. foi dificil deixar o grude de meu joao, mas consegui me permitir, e ai desci de novo pra festa. Achei tudo tão palido...mesmo aquelas coras, aquelas pessoas interessantes, aquela musica que eu adoro, aquele friozinho.... eu bebie bebi muito hoje, foram 7 doses de tequila, 1 garrafa de licor de chocolate e algumas cervejas. nao sei o que será de mim amanhã.....

e ai, eu senti tanta falta dele, da companhia mesmo, de dar um cheirinho, dos cachinhos caindo no meus olhos, da mão pegando no pescoço, da mão estalando sozinha, dos sons que saem dele. E eu olhava pro lado e acha tudo legal, mas sentia falta, e não queria mais nenhuma mão, nem um olho , nem um toque. E quanto mais alguém se aproximava mais saudade eu sentia,

isso me da medo


me sinto num ponto maximo de entrega e exposição

me cuida alguem ai
que ta doido o negocio
sera q era isso q diziam?
sera q eu tava errada sobre mim e sobre isso tudo?

agora só o q eu quero é voltar
praquele aconchego imperfeito
e pro que a via quer me dar





segunda-feira, 19 de junho de 2017

junho ja

tenho estado feliz
isso se da por muitos motivos,
aquela sensação boa de estar fazendo as coisas da melhor forma possível, de me libertar de sensações velhas que me faziam sentir parada no tempo espaço. Sanar a duvida que me paralisava , saber que consigo, arriscar  o que já não estava mais posto. Escrever ouvindo shakira e fumar meu cigarro de palha, o único que me é permitido.
planejar minha viagem do meu jeito
estar quando quero com quem amo
estar com os meus e as minhas
me ocupar de mim
tantos planos e coisas que quero fazer ainda.
a sensação boa do sossego dentro de mim
da paz que só eu sei me dar
junho é um mês engraçado, é o ano terminando já, e é sempre um mês produtivo, a produção do ócio.

esse ano minha dissertação ta acontecendo
estou com 70 paginas escritas
estou chegando la
o ultimo capitulo será desafiador demais
e eu nem to com medo
medo eu tinha quando eu tava parada
quando n saia nada alem de duvida e medo

donde estas corazón?


aquiii!!!



terça-feira, 30 de maio de 2017

Quando passa?

quando passa essa sensação de "o q q eu to fazendo da minha vida?"


eu to tão bem e tão ausente de mim

o que é isso?

espero que esse retorno de atividades do candomblé me faça sentir mais forte comigo de novo

lá é sempre um bom lugar de me encontrar

quero

sábado, 27 de maio de 2017

eu não me arrependo de você



ahhhh essa musica. ela caiu em minha mão em um dia tão apropriado


é tão isso que eu sinto
é tão nisso que eu acredito,

é tão adequeada.
amo amo amo



segunda-feira, 8 de maio de 2017

sim, ele se foi

Meu Belqui morreu.

ele partiu pra nunca mais voltar. Ele nunca mias vai desaparecer.

e esse vai ser um texto bem piegas, beirando o ridículo

aquele texto de facebook mesmo,
que diz que com ele morreu meus amores, com ele morreu minha esperança de tê-lo em meu sofá, com ele morreu minha fé no nosso encontro material. A morte de Belchior é bem simbólica apra minha vida, e enterra uma fase sem retorno. Enterrado naquele caixão estão as tardes sozinha em casa, as casa, os posts desse blog, os vinho que tomei olhando pra sua cara, a loucura que é esperar por ele.

eu n consigo nem ficar tristissima,

pq de alguma forma, isso tudo significa o novo, o que vem de pois de... e isso é sempre tão bom....


meu belqui me deixou
em rumo
e na solidão poética
q ele me dê forças

pro novo, q sempre vem.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

separação, morte, encontro e a tecla A - A vida Belchiana

Em fim, cá estou. Finalmente.

usei muito sabiamente da minha tecla A quebrada para sumir um pouco daqui. Aliás minha tecla A quebrada foi uma desculpa muito boa para tudo. Está até no relatório da Capes para justificar o atraso da minha dissertação. É também culpa da tecla A que a minha caderneta de professora da escola onde eu trabalho está atrasada, já que eu não conseguia dormir com essa preocupação e isso afeta diretamente meus rendimentos produtivos. Por falar nisso, é por isso também que estou mais pobre, deixei de fazer trabalho que me renderiam dinheiro, e ainda gastei uma fortuna pra concertar a tecla A.

Foi tb por causa da tecla A quebrada que precisei tomar mais cervejas do que deveria, pensando no caos que era ficar sem a tecla A. Bendita seja ela. Resolveu paralisar minha vida. E só assim, somente assim, eu consigo a voltar a respirar.

Poderia culpar ela tb por ter me separado.Mas seria injusto com a  pobre.

Sim, me separei. Acabou-se a linda historia mais invejada dos ultimos 10 anos. Acabou a relação perfeita, o casamento lindo, a relação-que-todo-mundo-queria ter. Menos eu. Depoi de anos pensando e repensando a minha vida , minha existencia, meus planos e objetivos de vida, consegui aceitar o fim o meu casamento, consegui me libertar, e o melhor, libertar a quem amo. Isso é de uma grandeza infinita.
estou feliz,
não por que não era boa , pelo contrario, era incrivelmente maravilhosa. E eu n sei lidar com isso.
na verdade, me sinto aliviada por termos tomado essa decisão, era algo que precisávamos fazer por nós, e que conseguimos fazer da forma mais bonita possível. Não sem dor.

A verdade é que viramos bons amigos. bons mesmo, os melhores. Eu amo aquela criatura, muito mais do que a mim mesmo. E talvez isso seja bem problemático. Desejo a ele tudo de muito melhor do que eu consegui ser. E não me coloco aqui como a pior pessoa do mundo, mas a pessoa que por ser mulher, e ter vivenciado ao lado dele o processo de empoderamento disso, foi bem egoísta, por pura necessidade de ser, crescer, aparecer e resistir.

A separação foi incrivel. Ta sendo, tem sido. ele tem se mostrado ainda melhor ex-marido do que marido, o que só o engrandece, e eu tenho sido cada dia mais feliz por tê-lo em meus caminhos. Meus desejos são os melhores para sua vida.

Tenho tido dias de muita intensidade. Meu 2017 não tem sido brinquedo.

Desde eu concertei a tecla A eu tenho tido um pouco de sossego, por um lado, por outro, não tenho mais desculpas para não cumprir meus prazos, todos esgotados.

Tenho que recuperar minha vida e retransforma-la no caos produtivo que sempre foi. Preciso.

desde que me separei me permitir viver meu luto, de uma forma bem peculiar, ok. mas é meu luto.E eu faço dele o que eu bem entender, inclusive, nada.
Bebi quase todos os dias, sumi do terreiro, me revoltei com as amigas e busquei colo.

Aos poucos estou de volta. 1 mês e 15 dias que ele foi embora e eu fiquei com a casa, o cheiro, as fotos, as aquisições, e isso não é fácil. Ficar é muito difícil.

Nem a cama eu mudei de lugar. Sou forte. Pra n dizer que não mudei nada, arranquei as portas do armário, que me incomodava demais. Sim. odeio portas que atravancam, e elas estavam me irritando ha anos, arranquei, hj meus armários são sem portas, e isso diz muito do que tenho sido.

Sinto falta de muitas coisas da nossa dinâmica, mas o melhor da parceria temos conseguido manter.
E aos poucos vou me reestabelecendo em mim. Por exemplo, preenchi meus dias de coisas que odeio fazer: ir ao medico. to com meu corpo em dia. Todas as coisas em ordem, inclusive, depois de 10 anos de ralação, somente agora, que não há mais relação resolvo colocar o Diu. Aquariana.... tudo bem, por motivo de amenizar sintomas da endometriose.... mas n deixa de ser simbólico.
Assim como a morte de belchior.

Meu belqui morreu
e será um outro post.

mas não posso terminar de falar disso, sem antes falar de como a vida pode ser perversa e irônica. Belchior morrer, justamente nessa fase da minha vida, foi di fudê... queria ser a diretora desse filme.

o mesmo filma contaria a historia de um amor que surge no meio do caos e é o próprio caos.
isso tb é uma historia para um outro post, pq vai me render mais linhas do que eu posso surportar,

preciso tb contar, que esse negocio de separação, é bem arriscoso pra quem ta por perto... o efeito dominó que pode vir a acontecer em casais proximos é real, e comigo foi fato.

isso tb coisa pra outro post.

espero vir aqui descansar da minha dissertação, pq assim será sinal de que estarei trabalhando nela.

foi bom escrever essas linhas

viva a minha tecla A.







quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

ausencia

ausência minha aqui é sempre preocupante.
pq quando não escrevo parece que ta tudo embolando dentro de mim.
quando fico sem vir aqui, é uma bola de neve, eu fico assim, sem saber pra onde ir, e sem saber o que fazer, pq eu deixo de vir pq ta dificil de organizar as coisas de um jeito que e melhor nem escrever, e aí eu deixo de escrever pq a medida que  tempo passa e as coisas não se resolvem sozinhas, nunca se resolvem sozinha, incrível.... e eu fico mais embolada.
e aos poucos eu vou me desembolando... em pelo menos algum aspecto.
eu to assim... bem... encurralada em minhas reflexões e principalmente em minhas vivencias. 
hoje eu me deparei mais um vez com  minha falta de compreensão sobre mim.
Uma mulher vindo me falar de um homem, dito desconstruido, com quem teve algum nível de relao... aquilo de sempre... falta de cuidado, falta de respeito, faltas..faltas faltas...
é tao cansativo ver  a historia se repetindo a medida que o tempo passa... e eu? 
eu fico assim...impressionada como ainda assim, empoderada, cheia de leitura, continuo assim...
Volta e meia to enredada na mesma teia.
Que ódio.
Como é difícil ser feminista heterossexual... como é difícil reeducar minha subjetividade.... como é ruim fazer isso sozinha....

Eu sempre penso, muito pretenciosamente, que consigo manter algum tipo de controle sobre isso. E parece que nunca vou aprender que quem procuracha.

a mesma inquietao, que me ergue é a inquietao que me afunda.

vim aqui começar  mexer na bagunça.

~isso se chama Inferno astral?

35. jaja.






Dia a Dia, Lado a Lado

Eu sonhei que estava exatamente aqui, olhando pra você
Olhando pra você exatamente aqui
Cê não sabe, mas eu tava exatamente aqui, olhando pra você
Olhando pra você exatamente aqui

Pronto para despertar
Perto mesmo de explodir
Parto para não voltar
Pranto para estancar
Tanto para acordar
Tonto de tanto te ver
Perto mesmo de explodir
Prestes de saber por quê

Por que um raio cai?
Por que o sol se vai?
Se a nuvem vem também
Por que você não vem?

É que eu sonhei que estava exatamente aqui, olhando pra você
Olhando pra você exatamente aqui
Cê não sabe, mas eu tava exatamente aqui, olhando pra você
Cê não sabe, mas eu tava exatamente aqui

Pronto para despertar
Perto mesmo de explodir
Perto para não voltar
Pranto para estancar
Tanto para acordar
Tonto de tanto te ver
Perto mesmo de explodir
Prestes de saber por quê

Por que um raio cai?
Por que o sol se vai?
Se a nuvem vem também
Por que você não vem?

Por que, por que que um raio cai?
Por que, por que que o sol se vai?
Se a nuvem vem também
Por que você não vem?

Nada a ver ficar assim sonhando separado
Se no fundo a gente quer o dia a dia, lado a lado
Eu não vou deixar você com esse medo de se aproximar
Pra ter um fim toda história um dia tem que começar

Então me diz por que um raio cai?
Por que que o sol se vai?
Se a nuvem vem também
Por que você não vem?

É natural que seja assim você aí e eu aqui exatamente aqui
É natural que seja assim você aí e eu aqui exatamente aqui

É natural que seja assim você aí e eu aqui exatamente aqui



terça-feira, 1 de novembro de 2016

sobre a não-monogamia.

Dez pras seis

Quando o encanto acaba em um canto
Quando eu canto e você não dança mais

Talvez você já esteja dançando em outras notas
Mais afinadas
Talvez a minha música seja complicada demais
Não sou só de uma nota
Minhas canções são plurais
Sinceramente espero que esse seu encanto
Encante
Outros carnavais


Amanda Kahlo

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

paaaaaaaaaaaaaaaaara tempo

minha nossa senhora da temporalidade
ajuda ela
primeiro vem julho, agosto e setembro. 7 anos em 3 meses
tudo acontece
tudo demora
tudo e nada
agora outubro, novembro e  dezembro em 15 dias

essa sensação de que não vou conseguir concluir nada do que deveria no tempo que deveria
adrenalina lá em cima
dessa vez eu nem vou listar
as coisa que eu deveria estar fazendo ao invés de estar aqui
devaneando
vergonha
eu to muito vagal
eu to deixando as outras coisas me ocuparem
mais do que poderiam

isso é que dá ser "o corpo quer a alma entende'

a  alma entende sim
quem não entende é a empresa, o capitalismo, a capes, o orientador...


kkkkk
oh
cê me deixe viu?


que as segundas sejam sempre tão bem dispostas

e sobre a noite

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

segunda é segunda fia

toda vez que culpa começa a operar em mim... alguma coisa acontece, e um tsunami de empoderamento sobre minhas convicções me fazem levantar a cabeça.

vou dizer uma coisa: minha exua não é brinquedo. Ela não quer me ver subjulgada, ela não quer  saber de eu me sentir culpada, quando eu já tenho um longo caminho de construção sobre minhas convicções e sentimentos.


Eu agora sambo sambo sambo.

é só o que me resta.

agora aguente.

Laroyê


quarta-feira, 5 de outubro de 2016

me segura


"nos poucos dias que antecederam a viagem, mesmo com as discussões, as lágrimas, coma poeira de tragédias recentes ainda prejudicando a visibilidade em meio aos escombros , eu me pegava sorrindo por dentro nos momentos mais inesperados. Como eu podia ter me privado por tanto tempo do sabor das decisões drásticas, do prazer de derrubar uma pecinha de dominó e mudar tudo de forma irreversível? Atenta a essas sensações, eu pensava em coisas como uma banho de sais em uma imensa banheira de quarto de hotel, em glaciares desmoronando, em aviões realizando acrobacias, em mim mesma fazendo coisas que nunca havia feito mas que só podem ser maravilhosas." 




~ cordilheiras

DG


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

quando bate tudo junto


Words like violence 
Break the silence 
Come crashing in
Into my little world 
Painful to me
 Pierce right through me
 Can't you understand 
Oh my little girl 
All I ever wanted 
All I ever needed 
Is here in my arms 
Words are very unnecessary
 They can only do harm 
Vows are spoken
 To be broken 
Feelings are intense 
Words are trivial 
Pleasures remain 
So does the pain 
Words are meaningless
 And forgettable 
All I ever wanted
 All I ever needed 
Is here in my arms 
Words are very unnecessary 
They can only do harm
 Enjoy the silence

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

retomar

hj eu li isso, e relembrei o comecinho da minha história com bê há 10 anos atrás e aí, foi inevitável pensar em como as grandes histórias da nossa vida acontecem, ontem, hoje e sempre.


bem desse jeito.















terça-feira, 20 de setembro de 2016

quando isso tudo acabar

eu sei que eu vou achar que não foi nada demais, e que vou logo ta pensando no doutorado. Mas eu jur que eu preciso de um ano longe de obrigações academicas. Eu sei que isso é agora, e que quando terminar eu vou achar que eu devo e posso fazer isso comigo.... mas oh gente, eu to escrevendo aqui pra dizer que hoje, EU PRECISO DE UM ANO DE FOLGA. Eu preciiiiiso....Eu preciso só trabalhar uma vez na minha vida. Preciso ter só essa obrigação produtiva,.


Agora eu to aqui, escrevendo. To num momento bom da escrita, ta saindo, ta ganhando corpo, um outro corpo, uma outra perspectiva, eu to me colocand sem medo no trabalho, e borrando todas as verdades sobre produções de saberes. Quebrando os paradigmas da ciência. Ciência sua lynda, me ature.

Mas a cada paragrafo q eu escrevo lá sinto vontade de escrever 4 aqui. E eu tenho me comportado com relação a isso. pq... ahh... pq eu me conheço, e cada dia vou querer escrever mais aqui e menos lá...e foi por isso q eu acabei com meu facebook por um tempo. Precisava me concentrar e a militancia me convoca muiiiito por lá, e eu n resisto a militancia. Aliás, é lá q sou feliz, o mestrado é só sobrevivencia tecnica.

gora eu vou respirar letras, e esquecer o mundo.


só belchior salva

Eu me lembro muito bem do dia em que eu cheguei
Jovem que desce do norte pra cidade grande
Os pés cansados e feridos de andar légua tirana
Lágrima nos olhos de ler o pessoa
E de ver o verde da cana

Em cada esquina que eu passava um guarda me parava
Pedia os meus documentos e depois sorria
Examinando o 3x4 da fotografia
E estranhando o nome do lugar de onde eu vinha

Pois o que pesa no norte, pela lei da gravidade disso Newton já sabia!
Cai no sul grande cidade
São Paulo violento, corre o rio que me engana
Copacabana, zona norte e os cabarés da lapa onde eu morei
Mesmo vivendo assim, não me esqueci de amar
Que o homem é pra mulher e o coração pra gente dar
Mas a mulher, a mulher que eu amei
Não pode me seguir não

Esses casos de família e de dinheiro eu nunca entendi bem
Veloso, o sol não é tão bonito pra quem vem do norte e vai viver na rua
A noite fria me ensinou a amar mais o meu dia
E pela dor eu descobri o poder da alegria
E a certeza de que tenho coisas novas
Coisas novas pra dizer

A minha história é talvez
É talvez igual a tua, jovem que desceu do norte
Que no sul viveu na rua
Que ficou desnorteado, como é comum no seu tempo
Que ficou desapontado, como é comum no seu tempo
Que ficou apaixonado e violento como você
Eu sou como você
Eu sou como você
Eu sou como você que me ouve agora
Eu sou como você
Como você

3x4 - belchior lindo amordavida


segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Transforma-ações

Ser feminista é um aprendizado diário. Eu não canso de me surpreender comigo e com a potencia transformadora do auto conhecimento enquanto feminista e minhas relações com o mundo, e nesse exato instante, com a minha precária heterossexualidade. Cadadia fica mais desenhado p mim quão complexo é conciliar a luta e a pratica feminista com a heterossexualidade, ainda mais dentro na logica conpulsoria monogamica. Com isso n quero de forma alguma flertar c a ideia equvocada de que n ha possibilidade de existência de feminismo na heterossexualidade e vice versa. É muito mais conplexo. Esse parece que foi o ano de enfrentar esse debate interno e externo. E estou aprendendo muito com minhas vivencias. É incrivel como naturalizamos a ideia de que outra mulher é um potencial ameaçador de nossa hetero-relação. Não que n haja essa mesma dinamica nas relaçoes lesbicas e bissexuais mas eu so posso falar de onde me localizo. É muito doloroso pra mim estar envolvida nesse jogo. Me deparar com a minha incoerencia de estar nessa luta e quando me percebo estar nessa situação tipicamente hetero entre duas mulheres e um homem, é assim qe sinto o esvaziamento da minha luta. Chego a me sentir uma fraude, sei que isso dialoga com
Muitas coisas mas estar vivendo isso dói pra caralho. Talvez seja aquela hora do empoderamento que o clique acontece e a gente nunca mais consegue deixar de ser impactada por isso , aquele caminho sem volta. Se for isso, óteeeemo! Decisões precisam ser tomadas. E o que torna a vida melhor é saber que quando temos uma convicção tão transformadora fica mais facil cuidar do coração, nosso e dxs outrxs, e direcioná-lo a nosso senso ético dentro de uma luta muito maior. Sua benção minha mãe Iansã, olorum modupé pelos sinais!